Intolerância

Olhando para a vida de Jesus, com seus gestos e ensinamentos, percorrendo aldeias e cidades, ele também se deparava com grupos e pessoas fechadas em suas ideias, concepções e organizações. Uma sociedade com seus mandatários e um povo que vivia muito a margem do que deveria ser digno para todos. Religião com sua doutrina e seguimento fiel a Torá. Seguimento fiel a normas conhecidas que vieram de longa data de seus antepassados e eles eram conhecidos pela sua fé em Javé. O Deus único e verdadeiro. Uma rica tradição religiosa que os mantinha fieis a Deus. Organizados em torno da religião existia o Sinédrio, grupos de saduceus, fariseus, herodianos, sicários e essênios e o grande povo pobre a margem de tudo isso. Cristo Jesus encontrou esses grupos e os enfrentou com coragem pedindo para converter-se e crer em seus ensinamentos buscando uma sociedade mais igualitária, sinal de uma semente do Reino de Deus.

Era uma sociedade criada desigual e sem o desejo de mudança para uma vida mais digna para todos, em especial para os pobres. Jesus combateu fortemente a intolerância religiosa e social desses grupos e a grande concentração de poder que estava em suas mãos. Com eles é que Jesus teve grandes confrontos ensinando a busca por cuidados maiores com os pobres e a sociedade. Ensinou em parábolas, de cura de tantos irmãos e irmãs à margem da sociedade, comeu com pecadores, foi a casa de ricas pessoas e ensinou a acolher o próximo fazendo partilha, combateu os grupos religiosos e sociais, formou um pequeno grupo de doze homens e ensinou quem quer ser o primeiro seja o último, aquele que serve. Ensinou na montanha o grande ideal das Bem-aventuranças. Bem-aventurados sois vós... Um ideal eterno para todos nós. Mas a intolerância foi maior e os donos do poder assassinaram Jesus na cruz.

Esse ideal dos bem-aventurados esta longe de nossa sociedade e vivemos com uma grande divisão social. Meu olhar não é como de um sociólogo, mas como um homem de fé. A fé me faz olhar e desejar um mundo mais humano para todos. Há uma divisão desigual também hoje na sociedade e com uma grande intolerância para com os grupos sociais. A questão da distribuição de renda, onde os pobres recebem um pouco da riqueza dói para os grandes e não há a aceitação disso. É a intolerância que toma conta de muitas camadas sociais e gritam sem desejar o diálogo e a partilha. A intolerância é uma atitude mental caracterizada pela falta de habilidade ou vontade em reconhecer e respeitar diferenças em crenças e opiniões. Ou seja, as pessoas não respeitam as diferenças ou as opiniões dos outros. A intolerância é a pior das atitudes que se deve tomar em relação ao pensamento do outro, pois falta o que é essencial, o respeito a pensar e ter ideias diferentes. Quando se quer impor suas ideias como únicas é sinal de que quer corromper e fazer valer a sua vontade. Não há a boa vontade de construir juntos, mesmo com ideias diferentes, jeitos de fazer e construir uma sociedade. Quando falo do outro que pensa diferente corrompo e falo mal do que pensam. Não aceito que ele pense e aja diferente do que componho mentalmente como certo. Crio ódio por grupos e pessoas e me fecho para dialogar e vou as ruas corrompendo outros que muitas vezes nem sabem do que se trata. Será que não podemos ser mais abertos para o diálogo? O que falta para construirmos uma sociedade igualitária sem tantas divisões? É a melhor solução não desejar construir juntos? Lembro com atenção para todos nós o que disse Jesus na montanha: “Felizes os que promovem a paz, pois serão chamados filhos de Deus”. Promover e ser paz é um grande ideal para quem quer uma sociedade mais justa, igualitária e sem precisar corromper.

Pe. Joselio

Contacto

Paróquia Imaculado Coração de Maria Para qualquer sugestão, ideia, crítica ou elogio nos contate no e-mail: dudaeilert1810@gmail.com